dezembro vermelho

A campanha Dezembro Vermelho e a luta Contra a Aids

Em 2018, completa 30 anos que a Organização das Nações Unidas e a Organização Mundial de Saúde definiram o dia 1º de Dezembro como o Dia Mundial de Luta contra a Aids. A data foi criada para disseminar informações e formas de combate a essa doença. Para ajudar na divulgação de informações sobre o vírus HIV e a Aids, a campanha Dezembro Vermelho foi instituída em outubro do ano passado, aprovada por meio da Lei 13.504, do Senado Federal.

Quem era adolescente ou adulto nos anos 80 deve se lembrar do medo  por conta de uma doença que estava matando pessoas em todo mundo. Até ser conhecida, a Aids matou milhares de pessoas. Atualmente, apesar da infecção com o vírus ainda não ter cura, os portadores não estão mais condenados à morte apenas por possuírem o microorganismo em seus corpos.

A informação de que ser portador do vírus HIV é igual a estar com Aids é uma das ideias que a campanha Dezembro Vermelho quer desmitificar. Para entender melhor, saiba que o vírus é o causador da Aids, mas isso não quer dizer que os portadores irão manifestar a doença. Hoje, conviver com o vírus é possível por causa do desenvolvimento, ao longo dos anos, de medicamentos capazes de controlar os efeitos dele no corpo humano.

O sucesso da medicação para controlar os efeitos chega a deixar o vírus indetectável em exames e sem risco de transmissão. No entanto, isso não significa cura, mas apenas o seu controle. Os portadores conseguem ter qualidade de vida, fazer todas as suas atividades, desde que não descuidem da medicação, que deve ser iniciada logo após a detecção.

 

Campanha Dezembro Vermelho: prevenção e tratamento

prevenção AIDS

Praticar o sexo seguro, com o uso de camisinhas, evitar o compartilhamento de seringas ou o contato intravenal com sangue contaminado são as principais formas de se proteger contra o vírus HIV.

Quando fora de controle, o vírus causador da Aids ataca as células do sistema imunológico, alterando seu funcionando e deixando o organismo suscetível a doenças infecciosas. Na prática, o corpo não consegue se recuperar de uma infecção que, em outra situação, sem a doença, seria facilmente tratada.

Por isso, além de evitar o contágio, os alertas do Dia Mundial de Luta contra a Aids e de ações como as da campanha Dezembro Vermelho é para que as pessoas façam o exame que detecta o vírus e, em caso positivo, comecem o tratamento imediatamente.  

Atualmente, em todo mundo, 25% das pessoas infectadas não sabem que têm o vírus. Por isso, a meta é que esse número caia cerca de 10% até 2020, segundo informações da Organização Mundial de Saúde.

No Brasil, o tratamento é oferecido de graça pelo Sistema Único de Saúde (SUS). No país, segundo o Ministério da Saúde, 92% das pessoas em tratamento já atingiram o estado de indetectáveis, ou seja, a pessoa não transmite o vírus e consegue manter qualidade de vida sem manifestar os sintomas da Aids.

 

Municípios catarinenses assinam compromisso de combate à Aids

Em junho deste ano, o governo de Santa Catarina e prefeitos de municípios do estado assinaram a adesão à chamada Declaração de Paris. Trata-se de uma carta de compromisso, elaborada inicialmente na França, em 2014, com ações visando o fim da epidemia de Aids como ameaça à saúde pública até o ano de 2030.

Entre os pontos desse compromisso estão as metas de tratamento 90-90-90. Até 2020, deve-se alcançar os seguintes objetivos:  90% das pessoas vivendo com HIV diagnosticadas; que destas, 90% estejam em tratamento; e que 90% destas pessoas tenham carga viral indetectável. Além das metas de tratamento, os prefeitos se comprometeram a colocar as pessoas no centro das ações e a enfrentar as causas do risco, das vulnerabilidades e da transmissão do HIV em suas localidades.

Agora que você já sabe porque existe a campanha Dezembro Vermelho, participe das ações organizadas na Portobello em prol dessa causa e não esqueça de compartilhar este post nas suas redes sociais.

 

Deixar comentário