Reflorestamento: Portobello planta 4.500 mudas nativas em 2017

No dia 22 de maio foi celebrado o Dia Internacional da Biodiversidade, uma data que chama a atenção para a necessidade de proteger a diversidade biológica em todos os ecossistemas do planeta. Por isso, assumir compromissos com o reflorestamento de áreas degradadas, especialmente com o uso de mudas nativas, é uma atitude importante para proteger a biodiversidade. É o que faz a Portobello ao promover a recuperação de suas jazidas de argila, a matéria-prima utilizada na fabricação de cerâmicas.

No ano passado a empresa plantou 4.500 mudas nativas para recuperar a biodiversidade de áreas de jazidas desativadas nas regiões Sul e Nordeste. O reflorestamento é um dos caminhos que a Portobello segue para a recuperação de áreas de extração. Outros caminhos tomados pela empresa visando à recuperação das áreas de mineração são a piscicultura, a agricultura ou a pecuária.

Além do cuidado com as jazidas próprias, as áreas de extração de matérias-primas de parceiros e fornecedores são monitoradas e também recuperadas. Em 2017, todas as jazidas cumpriram as exigências ou condicionantes da legislação ambiental vigente.

 

Por que a Portobello usa mudas nativas para reflorestamento

A extração em cada jazida possui diferentes graus de impacto ambiental e social na região em que está inserida. A Portobello preza pela redução desses impactos e dá atenção especial à fase de recuperação visando o retorno da área à sua vocação natural. Quando vê a possibilidade de fazer o reflorestamento, a Portobello sempre opta por usar mudas nativas do bioma local.

Veja abaixo os principais benefícios de se usar mudas nativas em reflorestamento:

As árvores nativas oferecem o alimento ideal para a fauna da região, contribuindo com a preservação das espécies locais.

  • Elas se adaptam melhor ao clima local.
  • O plantio de mudas nativas para garantir matas ciliares de rios e lagos tem mais chance de dar certo e cumprir a função de proteger cursos d´água contra erosões e desmoronamentos.
  • As mudas nativas contribuem para a manutenção ou ressurgimento de espécies da biodiversidade local.
  • As espécies nativas são mais resistentes a pragas e são muito indicadas em plantios orgânicos, ou seja, em que não se faz uso de agrotóxicos.
  • Espécies de pássaros nativos costumam preferir fazer seus ninhos em árvores que já conhecem, ou seja, da região. Isso não ocorre quando eles se deparam com espécies exóticas.

 

 

A importância de se investir em reflorestamento

Uma única árvore, já adulta, pode absorver do solo até 250 litros de água por dia. Isso significa que várias delas são capazes de proteger o solo contra a erosão e, no caso de morros e terrenos íngremes, de desmoronamentos. As árvores também contribuem para amenizar o calor, refrescar o clima e são importantes para abrigar as mais variadas espécies. Isso significa que elas são essenciais para manter a biodiversidade de uma área.

Além disso, as árvores promovem a absorção de CO2 da atmosfera, diminuindo a concentração deste gás e consequentemente, desempenhando um importante papel no combate à intensificação do efeito estufa. A retenção do gás carbônico da atmosfera é realizada graças à fotossíntese, permitindo a fixação do carbono na biomassa da vegetação e nos solos. Portanto, o reflorestamento é essencial ao combate às mudanças climáticas.

Por causa desses benefícios, as empresas podem compensar a emissão de gases poluentes provenientes de suas atividades econômicas ou ocasionada pelo transporte de insumos e mercadorias, por exemplo, plantando florestas ou recuperando áreas degradadas. Mesmo que não desenvolva um projeto próprio, com a aquisição de áreas para reflorestamento, as empresas podem investir em neutralização de carbono de áreas administradas por comunidades ou outras empresas que ofereçam esse serviço.

 

Se você gostou de saber como a Portobello recupera as áreas de onde retira matéria-prima para suas fábricas, veja como a empresa colabora com o meio ambiente tratando e reutilizando a água utilizada em todos os seus processos produtivos.


Deixar comentário