Profissionais com Deficiência no Mercado de Trabalho

Os Benefícios da Inclusão de Profissionais com Deficiência no Mercado de Trabalho

A falta de oportunidades para profissionais com deficiência no mercado de trabalho têm diminuído ano após ano, e isso é animador. Segundo dados da Relação Anual de Informações Sociais (RAIS), do Ministério do Trabalho, em 2016, o número de pessoas com algum tipo de deficiência contratadas formalmente teve um crescimento de 3,79% na comparação com os números de 2015. Naquele ano, o último com informações disponíveis, o número de contratados com vínculo empregatício era de 403.255 pessoas.

Apesar do preconceito ainda existente contra esse público, o crescimento de vagas é uma esperança de que, cada vez mais, os empregadores estejam se conscientizando dos benefícios de contratar trabalhadores com deficiência para além do que obriga a legislação. Atualmente, a inserção de profissionais com deficiência no mercado de trabalho é garantida pela lei federal nº 8.213, de 1991.

Essa lei determina que todas as empresas públicas e privadas que têm entre 100 e 200 funcionários devem reservar, obrigatoriamente, 2% das vagas para pessoas com deficiência. Entre 201 e 500 funcionários, deve ser feita a reserva de 3% das vagas; e entre 501 e 1.000 funcionários, 4% das vagas. Para as empresas com mais mil funcionários, a cota a ser reservada é de 5%.

Principais benefícios da inserção de profissionais com deficiência no mercado de trabalho
Especialistas garantem que as contratações não são maiores porque as empresas ainda não se atentaram para os benefícios da inclusão de profissionais com deficiência no mercado de trabalho. Veja abaixo alguns deles:

 

1- Aumenta a sensação de valorização e pertencimento dos funcionários da empresa

Segundo a i.Social, consultoria com foco na inclusão social e econômica de pessoas com deficiência no mercado de trabalho, os funcionários sem deficiência tendem a valorizar mais a empresa que inclui, com qualidade, profissionais com diferentes deficiências. Isso porque eles tendem a enxergar a preocupação e cuidado com todos os colaboradores, o que ajuda na criação de um sentimento de orgulho de pertencer a empresa, contribuindo para uma cultura organizacional positiva.

Além disso, a convivência entre pessoas diferentes ajuda a tornar o ambiente de trabalho mais rico, pois possibilita a troca de experiências diversas, o que humaniza a empresa e permite crescimento profissional e pessoal.

 

2 – Aumenta a produtividade da empresa

Há quem possa achar contraditório, mas a inserção de profissionais com deficiência no mercado de trabalho contribui para o aumento da produtividade da empresa. Isso porque os profissionais sem deficiência tendem a se espelhar no esforço e rendimento dos colegas com deficiência e, assim, procuram seguir o exemplo. De acordo com a i.Social, para que isso ocorra, é necessário que a empresa ofereça todas as condições para o melhor desenvolvimento do trabalho realizado pelos funcionários com alguma deficiência.

 

3 – Ao entender as necessidades de profissionais com deficiência, a empresa aumenta sua compreensão para as necessidades de clientes com deficiência

Ao estruturar a empresa para receber colaboradores com deficiência, a empresa passa a ter contato com uma realidade que talvez não conhecesse. Ela passa a entender as necessidades de pessoas com deficiência e, ao garantir o atendimento dessas necessidades, será mais fácil lidar com a necessidade de possíveis clientes que integram esse público. Esse é um diferencial e um ponto positivo para a competitividade da empresa frente ao mercado.

 

4 – Oportunidades oferecidas para pessoas com deficiência contribuem para a imagem positiva da empresa

Quando a empresa investe na inclusão real de pessoas com deficiência no seu quadro de funcionários, ela melhora seu reconhecimento perante a sociedade e seu público externo. Isso porque os consumidores tendem a valorizar organizações que prezam pela responsabilidade social. Já para os colaboradores contratados, a atuação nas empresas representa uma forma de exercer um trabalho remunerado de maneira digna. Eles também podem ter uma interação mais próxima com outros profissionais, conseguir independência financeira, elevar a autoestima, o que contribui para sua socialização em diversos ambientes. Sem falar que essa satisfação com a vida profissional é externada e sempre com elogios à empresa.

 

Conheça o Programa de Inclusão de Pessoas com Deficiência da Portobello

Profissionais com Deficiência no Mercado de Trabalho

 

A inclusão de pessoas com deficiência no mercado de trabalho é uma das preocupações da Portobello. Por isso, a empresa mantém um programa de inclusão que garante vagas para esse público. Por meio de parcerias com instituições locais, a Portobello oferta vagas para pessoas com deficiências em várias áreas da empresa.

Em 2017, a empresa atendeu 92,2% da cota, incluindo profissionais com deficiência nas áreas administrativa (7,3%), comercial (30,3%), industrial (57,8%) e na Pointer, unidade de Alagoas (4,6%). Na composição do público atuando nessas áreas, 38% tem deficiência física, 27% está em reabilitação, 19% tem deficiência auditiva, 10% tem deficiência visual e 6% são profissionais com algum tipo de deficiência mental.

 
Se você quer saber mais sobre inclusão de profissionais com deficiência no mercado de trabalho, conheça um pouco da história colaborador da Portobello, Ymanitu Geon Silva, tenista profissional paralímpico e que atua no setor de marketing da empresa.


Deixar comentário