6 dicas para desenvolver um traço autoral em projetos de arquitetura

O que arquitetos e designers devem fazer para se destacar no mercado? Essa é uma dúvida da maioria dos profissionais da área, que é tão concorrida e cheia de adversidades.

Tanto para arquitetos iniciantes quanto para os mais experientes, o desenvolvimento de um traço autoral é uma ótima estratégia para se sobressair no mercado e garantir uma boa clientela, independentemente da área de atuação. Entretanto, criar projetos diferenciados não é uma tarefa fácil e exige uma série de habilidades e muito trabalho.

Pensando nisso, separamos 6 dicas para que o arquiteto consiga desenvolver uma assinatura própria a fim de ser reconhecido no mercado. Quer saber quais são? Não deixe de ler este post!

1. Identifique o seu perfil

O primeiro passo é identificar a área da arquitetura em que você tem mais interesse e com a qual mais se identifica. Cada área requer habilidades e aptidões diferentes: você pode se destacar na criação de projetos arquitetônicos, ter mais afinidade com projetos de interiores, se dedicar ao paisagismo ou ao gerenciamento de obras, por exemplo.

A partir da definição da sua especialidade, é muito mais fácil determinar outros parâmetros (como o estilo que você quer seguir) e se dedicar ao seu traço próprio e o que você acredita, sendo sua assinatura própria.

 

2. Defina seu público

Para que os clientes não criem expectativas equivocadas e, principalmente, para que se sintam satisfeitos com o resultado do projeto, eles devem estar familiarizados com a linha que o arquiteto e designer seguem. A segunda dica, então, é segmentar seu público e selecionar uma parte que compartilhe dos seus gostos e crenças na arquitetura.

Definindo o público e o seu estilo próprio, você também conseguirá saber quais são as preferências e potencialidades na área.

3. Guarde suas inspirações

Procurar e guardar referências é uma ótima maneira de aumentar o repertório de tendências e usos. Além disso, manter-se atualizado é fundamental para oferecer serviços diferenciados e de qualidade. Com frequência, confira sites, blogs e páginas em redes sociais que divulgam novidades, inspirações e conteúdos de qualidade.

Uma boa dica é conhecer de perto projetos arquitetônicos e urbanísticos para perceber a real interação entre a obra e a sociedade, inspirando-se pelos conceitos, texturas, ângulos e formas da edificação. Procure projetos variados, desde os mais corriqueiros até construções famosas e reconhecidas.

Conhecendo outros arquitetos, seus estilos e peculiaridades, você tem a oportunidade de planejar e trabalhar em seu próprio traço, reunindo das referências o que mais se ajusta ao seu estilo. E o conteúdo pode vir de várias esferas, por exemplo: moda, artes plásticas, elementos culturais, natureza, fotografia, entre outros.

4. Domine os materiais

Inerentes ao projeto — e ao seu traço autoral —, a variabilidade e as características dos materiais utilizados dizem muito sobre a qualidade do desenho e do resultado final. É importante saber escolher os melhores materiais para cada ambiente.

A boa escolha do que será usado, desde acabamentos e revestimentos até os móveis e itens de decoração, garantirá mais uma característica marcante do seu trabalho, criando sua assinatura. Entender e trabalhar todo o conjunto da obra é mais que uma necessidade e confere ao arquiteto segurança e autoridade na área para apostar no seu desenho.

5. Especialize-se

Para desenvolver um diferencial, ter criatividade e explorar as possibilidades da arquitetura, é imprescindível ter fundamentos teóricos e práticos.

Busque conhecimentos extras e não se atenha somente à sua formação acadêmica. Hoje, o mercado oferece uma infinidade de cursos de especialização e de aperfeiçoamento, além de cursos online e a distância, que são mais viáveis para a rotina corrida dos arquitetos. Esse cursos não são gastos, são investimentos.

É importante garantir conhecimentos práticos também. Aprenda sobre os mais diversos materiais e sistemas construtivos, além de fazer cursos de como aplicar materiais sustentáveis no projeto, estratégias de vendas, atendimento ao cliente, design gráfico e novas técnicas, assuntos em alta e inovações na área, por exemplo.

6. Faça networking

O termo “networking” refere-se à capacidade de criar uma boa rede de contatos e relacionamento, por meio de trocas significativas em que ambas partes saem com benefícios. O segredo é buscar contatos fora da sua rede familiar e de amigos, para apostar em clientes e outros profissionais.

O networking pode até parecer complicado, mas, na verdade, é uma ação rotineira que pode ser feita em quase todos os lugares e canais. Mas saiba que não é o número de contatos que importa, mas sim a qualidade e a relevância de cada um.

As melhores práticas são: trocar contatos durante eventos, cursos e feiras, fortalecer suas redes sociais (publicando suas ideias e alguns detalhes de projetos), manter convívio com clientes antigos e colegas de faculdade e aproximar-se de outros profissionais (de arquitetura e design ou de áreas relacionadas, como empresas de materiais de construção ou prestadores de serviço).

Dica extra: o traço autoral e a composição do portfólio

Uma dúvida comum é como apresentar os projetos e resultados. O ideal é reunir os projetos de mais destaque em um portfólio — dando ênfase ao estilo que você segue e ao seu diferencial. A arquitetura é um campo que valoriza a estética e a prática, assim o visual conta muito, ao passo que conteúdos com muitos textos são pouco atrativos. É importante apresentar suas habilidades, competências e, claro, sua formação.

Por exemplo, para estudantes e para quem acabou de se formar, o mais interessante é ressaltar suas habilidades em trabalhos e projetos, pois currículos convencionais e avulsos despertam menos curiosidade em quem estiver lendo. Já currículos completos, que mostram outras habilidades e sejam agradáveis, podem garantir boas oportunidades.

Lembre-se de que o reconhecimento é obtido pela satisfação do cliente, aliada à qualidade do trabalho e ao conceito estético e formal desenvolvido. Os clientes buscam projetos exclusivos e de qualidade. Portanto, é papel do arquiteto se qualificar e oferecer a excelência, utilizando as melhores estratégias e estabelecendo uma sintonia com as demandas do público e do mercado de trabalho.

É primordial prezar pela funcionalidade e a harmonia do espaço, a qualidade e durabilidade dos móveis e dos artigos de decoração, conciliando beleza, conforto e praticidade.

E então, gostou do conteúdo? Está pronto para desenvolver seu traço autoral? Acompanhe-nos no Facebook, Twitter, Instagram e Pinterest para ficar sabendo de mais novidades do blog e se inspirar com tendências de design e arquitetura.

 


Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *