Madeiras da Portobello: simplesmente perfeitas

por Maria Alice Miller*

Fiquei realmente muito impressionada com as novas linhas lançadas pela Portobello neste ano. Todas belíssimas e com conceitos que envolvem diversas das tendências atuais quando se fala em design de interiores, decoração e arquitetura. Mas foram nas linhas que simulam a madeira que considero que foi dado o maior salto: a tecnologia de fabricação da Portobello permite replicar à perfeição um material natural e muito valorizado esteticamente, preservando um recurso precioso para o planeta.

Dentre as linhas “amadeiradas”, destaque total para a Ecollection, onde o tamanho das peças – 120 x 20 centímetros – simula uma tábua. O toque, os veios, os nós, as cores, tudo reproduz a madeira viva aliada aos privilégios de um revestimento cerâmico, tais como a facilidade de colocação e manutenção, para citar apenas alguns. São cinco opções as mais bonitas: “Canela de demolição” e “Imbuia Clara” mostram madeiras nobres com tons suaves. “Cumaru cinza” e “Cumaru Negro” são opções em cores sóbrias com elegância citadina. E “Eucalipto Pátina” apresenta uma agradável simulação de madeira patinada em tom claro. Sem falar nos mosaicos da mesma linha que, aplicados em detalhes, faixas ou até mesmo paredes inteiras, reproduzem um trabalho único e muito valorizado.

Em Ecodiversa encontramos outro show de tecnologia e beleza: o aconchego dos designs naturais da “Peroba”, da “Canela” e do “Rovere” foram traduzidos em peças também fabricadas no tamanho de tábuas e em mosaicos tipo parquet, que causam sensação em qualquer ambiente. Destaque especial para a beleza clara das peças de “Rovere Pátina”: ótima para quartos infantis.

Como se não bastasse, em Ecoage encontramos uma reprodução de um tronco de árvore cortado transversalmente, com seu lindo nó central em destaque, mais ou menos no meio de cada peça. O tamanho 60 x 60 centímetros só contribui para a impressão de que se trata de madeira real, e o toque das peças é uma maravilha. A linha também tem peça no tamanho 15 x 60 centímetros, que permite o uso como um rodapé alto ou como uma composição variada em pisos. Os padrões lançados – “Canela” e “Pátina Marfim” – são dos mais bonitos e apropriados para o efeito.

Mostrando estar muito ligada aos desejos de clientes e profissionais de utilizar produtos com a beleza da natureza sem esquecer a necessidade de se preservar o meio ambiente, a Portobello prova que com bom gosto e uso de tecnologia de ponta torna-se possível conciliá-los.

Maria Alice Miller é designer de interiores carioca dedicada à análise e crítica de design, decoração e arquitetura. É editora do blog Casa com Design.

Related Posts with Thumbnails